|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 17 JAN 2014

23 crianças envolvidas em grupos armados libertadas na República Centro-Africana

Vinte e três crianças com idades entre os 14 e os 17 anos que tinham sido recrutadas por vários grupos armados foram libertadas em Bangui, República Centro-Africana (RCA), na passada quinta-feira, tendo sido identificadas muitas outras que serão libertadas nos próximos dias. As 23 crianças, entre as quais seis raparigas, foram retiradas de uma base militar para um Centro de Transição e Orientação apoiado pela UNICEF.

Esta libertação é resultado de negociações entre representantes das Nações Unidas e das autoridades de transição com o objectivo de permitir o acesso sem restrições a todas as bases militares do país para que as crianças encontradas nas fileiras das forcas da ex-Seleka e nacionais possam ser libertadas e serem colocadas sob a protecção de organizações que lhes dêem apoio e protecção.

“O reacender dos confrontos em Setembro e Dezembro de 2013 vieram aumentar o risco de recrutamento de crianças,” afirmou Souleymane Diabaté, representante da UNICEF na RCA. “A violência e a insegurança tornam as crianças mais vulneráveis ao recrutamento, em especial se estiverem separadas das suas famílias, deslocadas internamente ou com acesso limitado a serviços básicos e à escola. Por vezes, o sofrimento causado pela perda dos pais ou irmãos também é explorado.”

Este último ano, a crise crónica na RCA agravou-se, dando origem a uma situação de emergência humanitária muito complexa, com consequências graves para as crianças, nomeadamente em matéria de protecção. Estima-se que o número de crianças recrutadas tenha aumentado consideravelmente devido à escalada dos confrontos e ao aparecimento de grupos de autodefesa, como os anti-balaka. Apesar da volatilidade das condições de segurança tornar extremamente difícil a verificação dos números exactos por parte das entidades envolvidas na protecção das crianças, a UNICEF estima que o número actual possa rondar as 6.000.

“Não há lugar para as crianças em conflitos armados, pelo que nos sentimos particularmente encorajados com esta colaboração com as autoridades de transição para que estas crianças possam retomar a sua infância,” disse Souleymane Diabaté. “Em Bangui e por todo o país, a UNICEF está a trabalhar com todas as partes envolvidas no conflito para verificar, libertar e reunificar as crianças com as suas famílias. A colaboração com as autoridades de transição tem sido muito importante e vamos continuar a trabalhar com todas as partes envolvidas pela libertação urgente de todas as crianças.”

As 23 crianças estão agora num Centro de Transição e Orientação apoiado pela UNICEF, que proporciona educação básica, actividades desportivas, formação vocacional e apoio psicossocial enquanto se procura localizar as famílias destas crianças e se prepara a sua reintegração na comunidade.

Desde maio do ano passado, a UNICEF e os seus parceiros conseguiram a libertação de 229 crianças associadas a grupos e forças armados na RCA.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010