|
porUNICEF
fonteUNICEF
a 17 AGO 2015

Chega à Ucrânia o tratamento contra o VIH, que salva vidas, para adultos e crianças nas zonas do conflito

A primeira remessa de medicamentos anti-retrovirais (ARV) para adultos e crianças que vivem com o VIH nas áreas afectadas pelo conflito no Leste da Ucrânia chegou hoje ao país por via aérea. Em breve, seguir-se-ão outras remessas.

Trata-se do primeiro carregamento de medicação ARV que chega na sequência da assinatura recente de um acordo no valor de 3.7 milhões de dólares entre a UNICEF e o Global Fund to Fight AIDS, Tuberculosis and Malaria (Fundo Global de Combate à SIDA, Tuberculose e Malária) para o fornecimento de emergência de medicamentos contra o VIH para adultos e crianças que vivem em áreas controladas por forças não-governamentais no Leste da Ucrânia. 

O acordo vem permitir o tratamento continuado com ARV pelo período de um ano – para mais de 8.000 adultos e crianças que vivem com o VIH e o rastreio do VIH de mais de 31.000 mulheres grávidas e respectivos filhos. 

A estreita colaboração da UNICEF com a Medicines Patent Pool, a All Ukrainian Network of People living with HIV e uma selecção de fabricantes de medicamentos ARV, teve também como resultado uma poupança de custos significativa e uma maior celeridade na aquisição.  

A UNICEF alertou para o facto de que a saúde de milhares de crianças e adultos que vivem com o VIH nas áreas de Donetsk e Lubansk, afectadas pelo conflito, estaria em risco se as suas tomas diárias de ARV fossem interrompidas.

Uma paragem no tratamento, mesmo que seja temporária, implica que a pessoa seropositiva que estava a recebê-lo corre maiores riscos: o de desenvolver resistência ao medicamento, de a doença evoluir para a SIDA ou até de morte. Se o tratamento de uma mulher grávida seropositiva cessar, a sua saúde será afectada e o seu bebé ficará mais vulnerável à infecção.

“A interrupção da entrega programada e segura de bens e medicamentos nas áreas afectadas pelo conflito pode ser uma sentença de morte para as pessoas que vivem com o VIH,” afirmou Craig McClure, Responsável do Departamento da UNICEF para o VIH/SIDA. “A saúde e sobrevivência de crianças, mulheres e homens vulneráveis deveria ser mantida acima das disputas geopolíticas.”

“Através de uma parceria empenhada, estamos concentrados nas comunidades vulneráveis que precisam que haja continuidade no fornecimento de medicamentos cruciais. É essencial que assim seja para a saúde e o bem-estar das pessoas que vivem com o VIH no Leste da Ucrânia,” afirmou Maria Kirova, Directora do Departamento para a Europa de Leste do Global Fund.

As regiões do Sudeste da Ucrânia, incluindo Donetsk e Lubansk, têm a mais elevada prevalência de VIH no país, com 644 casos por 100.000 habitantes.

O conflito armado no Leste da Ucrânia veio ameaçar ainda mais a saúde das crianças e adultos seropositivos.

Perto de 14.000 adultos e crianças que vivem com o VIH residem em áreas que não estão sob controlo governamental, 8.000 dos quais estão em risco de ver os seus tratamentos interrompidos.

O tratamento de pessoas com VIH noutras partes do país será salvaguardado pela verba regular do Global Fund e financiamento adicional do orçamento estatal ucraniano. A UNICEF vai adquirir a medicação necessária e os kits de rastreio, bem como dar apoio à respectiva distribuição.

“A UNICEF está a fazer tudo para evitar a interrupção disponibilizando bens e serviços directamente às crianças e famílias em todas as áreas do Leste da Ucrânia, quer estejam sob controlo governamental ou não-governamental,” afirmou Marie-Pierre Poirier, Directora Regional da UNICEF para a Europa central e de Leste e a Comunidades de Estados Independentes. “Estamos a trabalhar com os nossos parceiros do Governo, da ONU e da sociedade civil para prestar às crianças e adultos que vivem com o VIH a assistência de que tanto necessitam.” 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010